Corno namorado da minha amiga me fudeu gostoso

Tudo começou quando uma colega do curso me pediu pra dormir em minha casa, mesmo não tendo tanta intimidade com ela, acabei deixando, eu morava sozinha ela não iria me incomodar, ela perguntou se poderia chegar tarde, e o horário que eu acordava no dia seguinte. Tá, fato que ela nem chegou a dormir em minha casa, me ligou pela manhã do dia seguinte, por volta das 6:00, um pouco mais cedo do que eu costumava a levantar, pediu pra passar em minha casa pra esperar o namorado dela. Não estava entendendo nada, só quando ela chegou, desceu de um carro, com um monte de coisas pra tomar café, despediu-se do homem que a deixou em

minha casa com beijos bem calorosos. Ela havia passado a noite com aquele homem, traiu seu namorado, me pediu desculpa por me acordar cedo, e tal. Tomamos um café enquanto ela me contou tudo, sobre o namorado que eles não se gostavam mais e que ele não aceitava o fim do relacionamento, e aquele outro homem era o que chamamos hoje de Sugar Dad. Eu me arrumei pra ir trabalhar, ela trocou sua roupa por uma roupa simples, como se ela realmente tivesse dormido lá em casa, o namorado dela chegou, ela pediu pra ele me dar carona até meu trabalho, no caminho ela comentou de um trabalho que fizemos na sala, fingindo que tínhamos feito na noite passada, pro namorado dela não desconfiar, desci e ela me agradeceu por eu ter recebido ela em minha casa.
Ocorrido tudo certo, esta minha colega repetiu o feito mais algumas vezes, quase toda semana, e ficou meio folgada, as vezes ela nem me avisava nada, só me ligava pela manhã dizendo que estava chegando com um café da manhã pra nós, (uma safada, vale dizer) e como diz o ditado a mania do cachimbo é que entorta a boca, um belo dia no meio da noite o namorado dela me apareceu em minha casa, eu sem saber de nada, atendi a porta e lá estava Tiago me perguntando cadê a Roberta.
Descrição do Tiago: Branco, cabelos pretos, olhos castanho escuro, creio que 1,77 de altura, ele parece ser da minha altura, na época do ocorrido 28 anos, corpo normal, magro pouco definindo, gostava de jogar bola. Ah o pênis não era muito grande, uns 16 cm mais grosso, branco cabeça rosa, no dia não estava depilado, mas os pelos não era muito.
Bem ele chegou umas 23:00h alterado e me pegou de surpresa, não sabia o que dizer e ele falou que a Roberta tinha dito que veio pra cá fazer outro trabalho.
– Cadê aquela desgraçada, eu sei que ela tá me traindo e você está fazendo casinha pra ela, sua puta. – Gritou ele pra mim.
– Cara eu não sei. Eu não tenho nada a ver com isso. Ela não está aqui. – Respondi
– Eu vi as mensagem que ela te mandou falando que vinha dormir aqui. Fala onde que ela tá porra. – ele estava alterado
– Não sei, ela não está aqui –
Ele xingou um monte e me perguntou se eu tinha cerveja, eu falei que não bebia cerveja e ele ainda disse que eu bebia era da “verdinha, aquela bebida de puta”. Do nada ele pegou as chaves da minha casa e do carro dele e saiu. Eu fiquei em choque, ligava desesperadamente pra Roberta e ela nada, com muita insistência ela me atendeu, contei para ela e ela disse que ia dar um jeito. Pediu pra eu não me preocupar, que ele só estava bêbado.
– Mulher ele levou minhas chaves, ele está louco. – eu disse pra ela.
Ela disse que iria resolver, e falou pra eu ficar tranquila, me pediu desculpa.
E então quando eu consegui dormir eu escutei Tiago entrando em minha casa, eu o encontrei na porta do meu quarto.
– Cadê aquela vagabunda? – ele estava um pouco mais bêbado.
– Cara eu não sei, sai da minha casa, ela não está aqui. –
– Eu sei que aquela puta não tá aqui, ela me falou que ia pra casa mas eu sei que ela não vai. Vocês acham que eu sou palhaço pra vocês rir da minha cara. –
Discutimos um pouco e ele entrou no meu quarto, e eu tentei empurra-lo pra fora, ele apertou meu pescoço, nos desequilibramos e caímos sobre a cama, nessa meia luta, eu que estava com uma roupa leve e folgada que uso pra dormir, meu peitinho saiu pra fora da blusa, ele estava por cima de mim, segurando meus braços, e de repente paramos, ele me olhando pro meu peito e eu olhando a cara dele, percebi ele abrir um sorriso safado então ele relaxou o corpo dele sobre o meu, e senti sua excitação em minha perna.
– Que isso seu louco, me larga. – falei tentando tira-lo de cima de mim.
– Aquela puta tá me traindo. –
– Mas eu não tenho nada a ver com isso. Me solta –
– Tem sim, sua cachorra, você tá ajudando ela. Agora você vai me ajudar também. Se não eu vou te meter porrada. –
Dali pra frente ele ficou tarado, esfregando o pênis em mim, começou a apertar meu peito e depois começou a chupa-lo, logo ele arrancou minha blusa e chupava meus peitos. Tirou a própria camiseta todo desengonçado, deitou sobre mim e começou a me beijar na boca, no começo era um beijo mordido, eu tentava afasta-lo, eu não gosto desses sexos violentos, tenho um pouco de medo, quem leu os contos anteriores sabe.
Ele tentava abrir a calça e me prender ao mesmo tempo, quando ele usou as duas mãos pra abrir o zíper eu consegui empurrar ele e sair de baixo dele. Mas ele me pegou novamente e passou o braço em volta do meu pescoço, começando a me enforcar. Então eu pedi que me soltasse por favor. E logo ele abandonou o jeito agressivo e me pedia pra ficar com ele, me falava ao ouvido que queria me comer gostoso, como estávamos em pé, foi mais fácil pra ele se livrar de nossas roupas, já estava pelada, e ele com a calça aberta roçando seu pênis em minha bunda, ele me pedia pra chupa-lo e quando vi estava sentada na cama com o pau dele em minha boca ele segurava minha boca pra que eu o engolisse todo seu pau, me fazendo engasgar várias vezes, depois ele me pediu para ficar de quatro, eu disse que não, ele me deitou de bruços na cama e me chupou o cuzinho com tanta vontade que meu pênis babava e meu cuzinho piscava como louco, ele sabia fazer sexo, ele metia alguns dedos no meu cuzinho enquanto o chupava, bem rápido ele trocou os dedos por aquele pau grosso e meteu todo de uma só vez. Lembro que soltei um grito e o xinguei. O filho da puta ficou louco disse que sempre quis me comer, desde que me via a primeira vez. Ele metia aquele pau bem fundo em mim me fazendo gemer alto, me beijava e mordia meu pescoço, ele puxou meu quadril me forçando a ficar de quatro e me fudeu pra valer, confesso que senti mais dor no começo da transa, quando ele me pediu pra sentar no pau dele foi quando comecei a sentir prazer, o cachorro me puxava pra sentar até sentir todo o pau dele dentro de mim, e fizemos outras posições na mesma intensidade ele gozou me comendo de frango assado, me olhando nos olhos e me chamando de puta gostosa.
Bem depois de nós recompormos da primeira gozada dele, ele disse que acabou usando a desculpa da traição de Roberta pra ficar comigo, mas que ele ficou de pau duro na primeira vez que me viu na faculdade ainda, e que ele falou pra Roberta que ia me comer na próxima vez que ela traísse ele. Bem putos os dois, depois ficamos mais amigos e fizemos outras putarias … Mas deixa pra outro conto, visto que esse ficou muito longo.
Beijos da Trava pra todos e todas.
P.S. aos caras que curtem trans e travestis se puderem me ajudar com uma pesquisa que estou fazendo sobre relacionamento com transexuais, deixa nos comentários ou me manda uma mensagem no chat! Beijo seus gostosos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *