As travesti me foderam no carnaval

Viajei a trabalho pra outro estado na semana anterior a do carnaval, trabalhei toda a semana e já no sábado estava no hotel e como na cidade que eu estava não teve festa de carnaval resolvi pagar um programa, entrei num desses sites de acompanhante e procurei por uma travesti, logo de cara vi uma loira, alta, muito bonita. Liguei e marcamos no hotel em que eu estava hospedado.


Algum tempo depois me ligam da recepção e eu mando liberar. Escuto passos e um batido na porta, abro apenas de cueca, ela entra, ofereço uma bebida e ela recusa, levanta sua saia e já tira seu pau pra fora, entendo o recado e me ajoelho e começo a chupar aquele pênis que cresce em minha boca, ela faz movimento empurrando até minha garganta que chego a engasgar, ela então me coloca de quatro e passa a língua em meu cu dar uma cuspida e sinto ela encostar o pênis dela em meu cu, suas mãos segura meu quadril e ela empurra lentamente mas sem parar até que encosta suas bolas em minha bunda e começa o movimento me

fodendo, ela me fode por uns quinze minutos até que enche a camisinha dentro de meu cu, ainda com o pênis dentro ela me bate uma punheta fazendo eu gozar jatos no coxão do hotel.
Depois que gozo ela vai no banheiro e toma um banho, pago a ela e dou um beijo de despedida, ela sai e eu vou tomar banho, escuto batidas na porta e grito do banheiro para esperar, termino o banho rápido e vou abrir a porta e para minha surpresa era Kelly, a travesti que tinha acabado de me enrabar.

-Oi, desculpa bater assim, mas quero te fazer uma pergunta, o que você acha de curtir o carnaval comigo na cidade vizinha?
-Acho que seria bom, mas porque esse convite?
-É que preciso de uma carona assim você me leva e serei sua companhia e sem cobrar nada, quem sabe o que pode rolar lá, é carnaval.
Aceitei, peguei umas coisas e passamos na casa dela pra ela pegar umas coisas, chegamos na cidade e fomos até uma casa onde ela falou que a gente ficaria lá, disse que era a casa de umas amigas. Lá ela me deu uma calça preta de couro e uma máscara que cobria toda minha cabeça
-Usa isso, assim se filmarem onde a gente estiver você não será reconhecido.
-Kelly essa calça ficou muito colada atrás

-É assim mesmo que quero e com essa máscara ninguém vai te reconhecer.
Fomos para a festa que era na rua mesmo, começamos a beber e ela começou a rebolar atrás de mim e pegando em minha bunda e me chamando de sua puta, encontramos uma amiga dela lá pela festa e ficamos dançando os três, depois de algum tempo Kelly ficou conversando alguma coisa com sua amiga, as duas vieram até mim e Kelly falou para eu ir para casa com sua amiga que no dia seguinte nos encontraríamos me deu um beijo e se foi, sua amiga me pegou pela mão e me chamou para irmos embora que já estava tarde, eu estava muito bêbado e ainda não tinha certeza se ela era um travesti ou não, só sabia que queria transar com ela, fomos até

sua casa, lá ela trancou a porta e me levou até um quarto, vi vários aparelhos de dominação nesse quarto, ela me empurrou para dentro e disse que ali eu seria a putinha dela, e tirou seu pênis da fora da roupa e me mandou chupar, chupei e logo ela me mandou deitar no chão mesmo, tirou minha calça e com as pernas pra cima ela me enrabou até gozar.
Parecia que tinha acabado quando um telefone toca, ela atende e logo desliga, bem até mim e me manda deitar em um aparelho bem menor que uma cama, fico com as pernas no chão e o corpo deitado sobre o aparelho então ela prende minhas pernas e braços e vai até a porta e quando abre entra outra travesti com um outro cara, o cara é colocado de quatro no chão e

então elas trocam, a travesti que entrou depois vem até mim e coloca o pênis em minha boca e faz o movimento como se estivesse em meu cu, ela não demora muito e veste uma camisinha e vai pra trás do aparelho onde não consigo ver nada apenas sinto seu pênis entrando em meu cu e gemendo mando ela me foder, olho para o lado e vejo o cara chupando o pau que tinha me enrabado a poucos minutos, vejo ela tirando o pênis da boca do cara e indo pra trás dele, enquanto me delicio com aquela travesti gostosa me fodendo fico olhando enquanto a outra tenta meter no cu de outro cara, passa algum tempo até que ela fala para ele relaxar e ele

falando que está doendo então ela mete tudo de uma vez nele e ele grita e tenta sair mais ela segura ele firme e sem dó começa a bombar nele e ele fala que dói muito e pede pra ir devagar enquanto eu gemendo mando ela meter com força, o cara do lado não aguenta mais e implora pra parar então a travesti que fode ele para, tira a camisinha e me faz chupar seu pau até que goza em minha boca e sinto o pau da outra inchar em meu cu até que ela tira e elas me soltam, a travesti que me levou para lá me leva até o banheiro e tranca a porta do quarto por fora deixando o cara e a outra travesti trancados lá. No banho a gente ainda se pega e só então como seu cu embaixo do chuveiro, depois do banho deito no sofá para dormir mas demora quase uma hora vindo os gemidos do quarto até que param e só então consigo dormir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *