Meu Primo e o Amigo dele

Olá meus gostosos e gostosas, obrigada pelos votos, elogios e mensagens de carinho. Então vamos lá meu pra mais um conto bem detalhado e picante, vocês gostam não gostam?! (risos safados)

Então depois daquela transa com o Yuri, foi bem tenso, o Rafa descobriu, e quis me bater. O quarto que eu dormia não tinha chaves pra trancar, logo a tarde quando a ressaca do Rafael passou, ele entrou de supetão no quarto, me pegou enrolada na toalha depois de um banho e quis me bater.


– Você é um desgraçado sem vergonha, não respeita a minha casa. Eu te falei que ia te quebrar na porrada seu vagabundo! – gritou ele pra mim.
E logo partiu pra cima de mim, me defendi de alguns socos, mas ele me segurou e conseguiu me dar um tapa bem dado na cara. Fiquei furiosa, a toalha já estava pelo chão, a sorte que eu sempre visto calcinha no banheiro, ou estaria pelada, humilhada.
– Me solta seu idiota babaca escroto, você não é ninguém pra me bater. – Gritei e o empurrei, com toda força que já tive dentro de mim.
Eu já procurei a primeira peça de roupa que encontrei vesti e comecei a jogar as minhas coisas dentro da mala.
– Pode deixar eu vou embora agora, não fico mais nenhum dia na sua casa, não vou desrespeitar ninguém. – Nem preciso dizer que estava aos choros.
Ele se levantou e ficou me olhando fazer as malas por um instante.
– Isso é culpa sua, você tem que se vestir desse jeito? –
– Não se preocupa eu tô indo embora. –
– Não precisa ir embora, é só você me respeitar porra. –
– Eu tô indo embora Rafael. Fica de boa. Fala pra sua mãe o que você quiser. Não vou falar nada não. –
– Não é pra você ir embora porra. Você vai pra onde?
Nessa cidade só sai um ônibus por dia, às 5:30 da manhã. Eu teria que esperar o próximo. Mas eu nem estava pensando nisso. Ele falou que eu não ia sair e pegou minha mala, na nossa discussão ele quebrou o puxador da mala. De raiva eu peguei minha bolsa e ia saindo e ele atrás tentando me impedir. O Yuri apareceu de moto, ele sempre estava na casa do meu primo ou meu primo na casa deles, onde um estava o outro também estava.
Ele já desceu da moto e veio ao nosso encontro, e começaram a brigar se xingaram e aida trocaram socos. Eu não podia fazer nada, entrei peguei minha mala e fui saindo, daí eles pararam de brigar e meu primo tentou novamente me impedir.
– Ah para Rafael, que merda, vê se cresce. Larga minha mala – Gritei pra ele.
– Não você não vai embora. – Respondeu ele.
– Larga de ser pau no cu Rafael, deixa a menina. – Falou o Yuri.
– Pau no cu é você filho da Puta. –
– Deixa eu levar ela. –
– Não vocês não vão sair daqui seu viado desgraçado. Some da minha casa. –
No final eles discutiram mais, quebrou minha mala nessa briga, e os dois saíram, Yuri me pediu pra esperar por ele, e os dois sairam pra se acertar. Fiquei em desespero, não sabia o que fazer, minha tia só ia voltar no outro dia.
No fim da tarde eles voltaram, meu primo bebeu novamente. Me pediu desculpas pegou minhas coisas e levou de volta ao quarto. E ele me chamou lá do quarto, eu estava sentindo alguma coisa estranha, eu deveria ir embora, Yuri sentou se ao meu lado.
– Ele está arrependido do que fez. Ele ficou com ciúmes de você.- disse Yuri.
– De mim?- fiquei confusa.
– Ele quer ficar com você. –
– Tá louco, a gente é primo. –
– Por isso que ele está com raiva, ele também acha que não é certo. Mas você lembra daquela vez que você veio aqui? –
– Tá louco Yuri, a gente era criança. Eu mal lembro daquilo, mas era diferente era inocente. –
– É mas a gente ficava esperando você voltar, e quando você voltou tão diferente ele ficou um pouco confuso. Mas eu gostei ainda mais –
Depois ficamos calados, ele segurou minha mão, Rafa ainda me chamou umas três vezes. Yuri se levantou me puxou pela mão pra que eu levantasse também e foi me conduzindo pro quarto. Assim que cheguei meu primo me encarava perto da cama, estava tenso, novamente eu entrei no automático apenas deixei as coisas acontecerem.
Rafael é negro como eu, mais alto e mais forte, músculos bem torneados do trabalho da roça, eu confesso que acho lindo a pele negra, mas eu estava confusa de olhar pro meu primo como um homem, lá no fundinho eu achava errado, mas era tarde demais.
Rafael me abraçou tão forte, nos que nem tínhamos tocado nas mãos um do outro, ele colocou o nariz no meu pescoço e inspirou tão forte como se quisesse cheirar todo o perfume do meu corpo, o cheiro dele também era bom, o perfume já havia evaporado, era cheiro de suor de homem com bebida alcoólica, o calor da pele dele, parecia febril. Então o beijo, a língua estava adocicada, ele me beijava com mini beijos, me soltava os lábios depois os prendia novamente com os dele, e repetia, sua língua na minha boca, eu não pensei em mais nada, nem se eu quisesse poderia, eu já não tinha noção de onde estava, nem o que ele era. Éramos dois corpos com desejos, bem isso até eu senti o corpo do Yuri atrás de mim, cheirou minha nuca, apertou seu corpo contra o meu, apertada por dois homens, quatro mãos tiravam minha roupa, duas bocas me beijavam meu corpo, o pescoço e a nuca, os peitos e as costas, então me senti sendo deitada na cama, estava de olhos fechados, era tanto tesao que eu tinha medo de abrir os olhos e ser apenas um sonho. Logo os dois me chupavam os peitos, a melhor cena foi o Yuri descer beijando meu corpo e começar a me chupar, o Rafael parou de chupar meu peito e ficou olhando a cena de um jeito espantado, e eu também fiquei olhando por um instante, até o Yuri caprichar na chupada me fazendo gemer e jogar a cabeça pra trás, não muito tempo depois eu senti a boca do meu primo, ele não sabia bem o que fazer, ficou chupando como se fosse um pirulito e mesmo arranhando foi muito gostoso. Quando foi minha vez eles sentaram na cama encostados na parede um ao lado do outro, com seus membros bem rijos, o pênis do meu primo parecia maior, talvez pela cor, a cabeça era mais arredondada, vermelho arroxeada, mas era bem mais grossa que a do Yuri, que devia ter por volta de 18 a 19 cm os dois (pra mim e pro meu cuzinho, isso é bem grande), foi uma delícia chupar os dois, hora um hora o outro, com a bundinha empinada, eles massageavam minha bunda, dava leves tapas, colocavam o dedo no meu cuzinho eu já estava ficando bem louca, até tentar me comer de quatro, (pro início da penetraçao e com dois caras, eu tava louca de tesao mas não dá cabeça né meus gostosos). Coloquei o Yuri deitado e encaixei o pau dele no meu cuzinho que não entrou fácil, mesmo eu tendo transado com ele naquela manhã, na verdade ainda estava sensível, enquanto eu sentava devagar eu chupava meu primo gostoso, ele ficou olhando meu cuzinho engolir o pau do amigo dele e ele ficou com muito tesao, pois o pau dele estava babando e parecia mais duro que nunca, quando eu comecei a acostumar com o pau do Yuri o Rafa pediu pra colocar o pau dele em mim porque ele estava achando que ia gozar de tanto tesao, tive que deitar de ladinho, meu primo não era tão delicado, e estava muito louco de tesao, eu tentando controlar meu primo pra não socar de uma vez em mim, o Yuri tentando me engasgar com seu pau em minha garganta, meu primo segurou meu punho em sua aflição e deslizou seu pauzao pra mais da metade dentro de mim, velho chorei de verdade, dor, parecia que o pau dele ia furar meu estômago, meu cu estava rasgado certeza, Yuri veio, deitou do meu lado e tentou me acalmar com beijos, meu primo gemia com eu apertando seu pau com meu cuzinho, e sem se importar muito com minha sensibilidade ergueu minha perna pro alto e meteu me chamando de “Puta gostosa, chora no meu pau safada, vou gozar no seu cuzinho”. Yuri me beijava Carinhosamente, mas com uma mão apertava nossos paus, e com a outra abria minha bunda, permitindo que o pau do Rafa entrasse todo em mim, entre aquela loucura, dor e tesao, gozei rápido e primeiro, melei a minha barriga e a do Yuri, nossos paus, meu cuzinho piscando como louco senti o gozo do meu primo me inundar por dentro e logo minhas contrações anais expulsaram o pau dele de dentro de mim e a porra escorrendo, Yuri aproveitou o embalo, me debruçou em cima do meu primo abriu bem minhas pernas e socou seu pau em mim de uma vez, Gritei, e fiquei gemendo num chorinho, meu primo estava um pouco desconfortável após gozar eu senti, ele tocava minhas pernas, com o rosto um pouco afastado, o Yuri me fudendo tão rápido em cima do meu primo, não demorou muito e gozou a porra dos dois misturadas dentro de mim, e o filho da mãe ficou lá dentro minhas contrações não era o suficiente pra expulsa-lo. Então afastei ele com a mão, fiquei envergonhada, e fui pro banheiro tomar banho…
——————————————————
Gente isso ficou muito grande. Mas foi algum leitor que pediu a continuação, não foi mesmo. Então receba, beijos meus gostosos e gostosas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *