Duas Travestis Comeram eu e minha esposa

Tenho 45 anos e sou casado a 15 anos com Beatriz, uma morena clara 1.60 de altura,40 anos, com seios pontudos, pernas grossas , bunda rebitada. Por onde passa chama a atenção. Beatriz é muito safada e eu não fico atrás. Semana passada Bia estava assistindo um vídeo de um travesti bem feminino transando com um casal muito bonito. A trans. fodia a mulher enquanto o cara comia sua bunda. Percebi que Beatriz estava excitada vendo a travesti meter na mulher. Fui tomar um banho e na volta a cena tinha mudado. A mulher estava sentada de frente com a

buceta na vara do cara e com a bunda virada para a boneca, que começou a enfiar a rola no rabo da gostosa. Beatriz estava com uma excitação enorme. Ela estava vidrada no cacete da travesti. Fui para o quarto, tirei a roupa, pois estava muito calor. Quando ia apagar a luz Beatriz entrou apressada e toda ofegante se jogando por cima de mim, esfregando sua buceta na minha boca e procurando meu cacete com seus lábios. O filme a tinha excitado demais. Ela não queria parar de trepar. Chupou minha vara como nunca. Eu fiquei com meu pau até ardendo de tanto meter em Bia.

Passado uns dias fomos em uma chácara que cultiva produtos orgânicos. Para chegar ao lugar nós tínhamos que passar em frente de uma boate cheia de mulheres se exibindo com poucas roupas mostrando parte do corpo e seios, algumas bem gostosas, outras nem tanto. Na chácara onde fomos além das hortaliças tinha um pesque-pague e um barzinho. Compramos verduras, legumes e sentamos numa mesinha para tomarmos cerveja e comer peixe frito. Bia estava com uma saia curta e cruzava as pernas grossas para provocar os homens que estavam no local, mas não dava bola para nenhum deles. Tomamos duas cervejas e na volta tínhamos que passar em frente à boate novamente. Foi quando duas gostosas gritaram– Ei gato, dá uma carona pra gente? – Vamos dar carona para as duas amor, disse Bia. Falei para elas entrarem no carro. Uma

loira e uma mulata que devia ter um metro e oitenta. Um corpaço, deliciosa. A loira também era bem bonita, mas a mulata era demais. Elas nos cumprimentaram, agradeceram e entraram no banco de trás. Bia percebeu que a mulata tinha me chamado a atenção. Minha esposa iniciou o papo. –Eu me chamo Beatriz e meu marido Augusto. Somos um casal bem liberal e nosso casamento perdura por causa disso. – Prazer. Eu chamo Sofia. – E eu Sabrina, disseram. – Vocês fazem o que na boate? Perguntou Bia. -Fazemos programa respondeu Sofia. Mas hoje está muito fraco de clientes. Pessoal fica sem grana por causa da crise e a gente não consegue nada. Bia estava virada para elas e eu ficava olhando a morenaça pelo retrovisor. Como era linda. Elas vestiam uma saia muito curta e sentadas ficou aparecendo a calcinha das duas. De repente Bia olhou fixamente para o meio das pernas da loira e da mulata e gaguejou alto- Nnnão

acreditoooo. Isso no meio das suas pernas. Vocês são, são,são. – Somos travestis, responderam. Bia ficou vermelha e ofegante. –amor, elas são lindas, não são? Eu, eu… Posso ir lá com elas, amor? Parei o carro e ela foi ao banco de trás sentando no meio das duas. –Vocês gostam de mulheres? Perguntou Bia. – Gostamos muito mais de homens Beatriz, disse Sabrina. Muito difícil eu transar com mulheres, mas uma linda, gostosa e bacana como você até encaramos. Bia levou suas mãos para as rolas das bonecas e alisava as picas por cima da calcinha. Quando a vara de Sabrina ficou meio de vez Beatriz tirou pra fora da calcinha e segurou com a mão. Foi para Sofia e fez a mesma coisa. Eu olhava tudo pelo retrovisor. O tamanho do pau marrom de Sofia era enorme -Amor, posso chupar o pau delas?- Se elas deixarem vai em frente, respondi. Bia

primeiro foi no cacete bem branco e de cabeça avermelhada de Sabrina. Alisou com a mão e começou a passar a língua na cabecinha daquele cacete que não era como o da Sofia, mas era um pau respeitável. – Chupa primeiro meu saco, pediu Sabrina. –o meu saco também, pediu Sofia. Bia segurava o cacete com as mãos e chupava as bolas da loira, alternando com o saco da mulata. Bia passava a língua e depois abocanhava as bolas. –Agora chupa meu pinto, sua putinha gostosa, pediu Sofia. Beatriz segurou o pau enorme e abocanhou. – hummm que pica deliciosa falou Bia. Alisava o saco com as mãos e lambia a rola, chupando aquela tora como se fosse um enorme sorvete de chocolate. Tirava e passava a língua naquela cabeçona marrom que açora estava brilhando de tão dura. Eu estava com meu membro latejando de tanta tesão de ver

bia chupar com tanto gosto aquelas rolas. Bia foi pro pau da Sabrina e tentou engolir ele inteiro. O meu ela engolia, mas era menor que o da loira. Na primeira tentativa Bia engasgou e não conseguiu. Tossiu muito. Sabrina pediu. -tenta mais uma vez, Beatriz. Engole minha rola inteira sua putinha . Sua boca é deliciosa. – vou engolir e encostar minha boca no seu saco, Sabrina. Amor, essas varas são tão gostosas, duras e macias hummm disse Beatriz. E começou novamente o ritual lambeu e chupou bastante aquela cabeça avermelhada e desceu. Sabrina agarrou os cabelos de beatriz com força e viu sua vara ser engolida inteirinha pela minha esposa. Beatriz era mestra em chupar uma vara. Sabrina estava adorando sentir sua vara ser engolida inteirinha e ser acariciada com a língua e os lábios sedosos de Beatriz – como sua

esposa chupa bem, que boca macia tem sua mulher, disse Sabrina. Agora é minha vez, quero ver se você engole a minha kkkkk, pediu Sofia rindo muito e puxando a cabeça de Bia para seu grosso e enorme cacete. – perguntei para Sofia quanto media seu pinto. – 22 centímetros, respondeu Sofia. Beatriz fazia carinho na cabeça daquela rola com os lábios e com a língua enquanto punhetava o pau da Sabrina. Vou tentar engolir, disse minha mulher. Tentou uma, duas, parou, respirou fundo tentou novamente, tentou ,tentou umas 8 vezes, mas o pauzão de Sofia era muito comprido e grosso. Não ia conseguir. Eu estava com meu pau trincando de tesão de ver aquilo, eu dirigia bem devagar para poder assistir tudo aquilo. De repente Sabrina pediu para ficar na frente comigo. Parei e ela veio enquanto Bia se deliciava com o pauzão

moreno de Sofia na boca. Sabrina abriu o zíper da minha calça e tirou meu pau pra fora.- Nossa, como está duro seu pinto, Augusto. Falou alisando meu membro e meu saco. Levou a boca e engoliu logo na primeira.. Como Sabrina chupava gostoso. – Para Sabrina, para eu estou dirigindo, não posso gozar agora, para eu disse quase que saindo totalmente da estrada, que por sorte era meio deserta. Estávamos chegando na cidade e aí tivemos que parar a deliciosa sacanagem dentro do carro. Beatriz reclamou- Nossa amor, eu estava quase gozando só de chupar essas duas rolas tão gostosas. Que pecado ter que parar. –Onde vocês moram? Eu levo vocês até nas suas casas. – No próximo quarteirão vire a esquerda. Disse Sofia. – nós moramos perto uma da outra, mas não juntas. Qualquer coisa deixa a gente aqui que tomamos o ônibus. É no bairro São Jorge, um pouco longe. -de maneira alguma, respondi. Realmente era um pouco longe. Chegando ao bairro Sabrina pediu para virar a direita no primeiro semáforo. Na segunda quadra ela pediu para parar – Moro no fundo da casa com portão amarelo, meu gato. Despedi-

me da Sabrina, mas não antes de pedir seu telefone. Ela me deu o numero, me lascou um baita beijo e se despediu de Beatriz também. Sofia morava a três quarteirões somente de Sabrina. – Onde tem um bar por aqui, Sofia? Eu estou com sede. – o bar fica a uns 10 quarteirões, disse a mulata. Sofia tinha 1.80 de altura e ainda estava de salto. –vocês não querem entrar um pouco? Eu tenho cerveja. –não queremos incomoda-la, Sofia, respondi – Fecha o carro e entrem, não reparem que a casa é simples. Sofia foi à frente e eu ficava admirando aquela beleza. Cintura fina, seios fartos, pernas lindas, uma bunda de dar inveja pra mulherada e um andar provocante. Se não tivesse visto seu cacete jamais diria que era uma travesti. Era uma mulher perfeita com uma pica enorme. Quando entramos vimos que a casa era bem arrumadinha. – sentem-se e fiquem a vontade, vou buscar cerveja. Quer whisky augusto? Vou trazer um copo pra gente.

Tomei a cerveja primeiro por que estava com sede e beatriz olhava calada para ela. Sofia percebeu que Beatriz estava ainda muito excitada, molhadinha.- Tá com tesão, gostosa? Quer meu pau na sua bucetinha, quer? Vai então para o banheiro, tome um banho e fique bem cheirosinha, pode usar minhas coisas. Bia foi tomar a ducha tremendo de tesão. O banheiro não tinha porta e dava pra ver Bia tomando banho- eu estava sentado tomando o whisky com a garrafa do lado e Sófia disse. -pode tomar o quanto quiser augusto, ficando bem pertinho, com aqueles peitos quase que saindo. Não aguentei. Levantei e puxei Sófia pela cintura , alisei suas pernas, tirei um dos seios pra fora e suguei passando a língua nos mamilos e minhas mãos acariciavam sua bunda, de repente Sófia pegou minha mão e levou para seu cacete por cima da saia. Eu parei, sentei no sofá, peguei o copo e virei a bebida. – que foi Augusto? Disse ela

tirando a roupa ficando só de calcinha. Ela veio com aquele pau enorme fora da calcinha apontando pra minha boca. –Pega ele um pouco Augusto. É todo seu, pega. Disse Sófia esfregando a cabeça do seu cacete de leve no meu rosto. –Sei que você quer. Dá um beijo molhado na minha vara, vai. Eu não sabia o que fazer, tinha vontade de pegar, de sentir o gosto de uma rola pela primeira vez, mas nunca tinha segurado uma a não ser a minha e muito menos chupado um pau. Encheu novamente o copo e colocou na minha boca me fazendo virar a bebida toda. Ela me agarrou e disse – nunca segurou um cacete ? Nunca chupou um pau grosso? Você vai adorar meu gato. Segurou minha mão com força e a levou para seu cacete. Eu peguei de leve, com medo de ferir minha masculinidade, mas a dureza aveludada daquela vara era deliciosa. – Vai Augusto, se solta. Faz carinho, vai. Alisa meu saco, faz carinho. Você vai sentir como é macio e muito gostoso de ser acariciado. Fui timidamente para o saco de Sófia. e comecei a acaricia-lo. Sófia tirou a calcinha e me fez sentar no sofá. -Toma mais uns goles pra se

soltar, meu amor. Eu estava tremulo, sem reação. A bebida já tinha subido na cabeça. – Dá um beijinho a na cabeça dele, Augusto, só um beijinho que depois eu chupo seu pau bem gostoso. E aproximou aquela vara enorme encostando a cabeça nos meus lábios e levou minha mão para seu saco, que tinha uns pelinhos bem macios. Segurou minha nuca bem forte e forçou a entrada. – Abra a boca, meu gato. Eu não sou um homem, sou uma mulher diferente. E ficou esfregando seu pau duro e macio em minha boca.. Ela encheu o copo e molhou seu cacete todo com o whisky. Encostou aquele membro majestoso molhado de bebida em minha boca – bebe o meu pau, Augusto e apertou minhas narinas com a outra mão. A hora que eu abri a boca ela empurrou seu cacete molhado de whisky puxando minha cabeça com tudo. Senti aquela vara no fundo da minha garganta. –Chupa, Augusto, chupaaaa . Chupa bem gostoso. Ela soltou minha cabeça e eu comecei timidamente a lamber a glande marrom de Sofia. –isso, amor. Vai, meu gostosão. hummm chupa meu cacetão bem gostoso. Passa a língua bem gostoso na cabecinha, vai. Comecei a gostar daquilo, de sentir aquele pau grosso dentro da boca. Segurei seu pau embaixo comecei a fazer um vai e vem com a boca . A bebida me deixou mais solto. Dei

umas mordidinhas bem de leve na cabeça daquela rola deliciosa – Tá aprendendo rápido, Augusto. Tá gostosa minha pica, meu amor? Chupa seu safado. hummm chupaaaaa. Nunca tinha provado meu gato? Sabia que ia gostar. Você vai gozar hoje como nunca gozou na vida. E eu molhava aquela rola gostosa com minha saliva, apertava ela com meus lábios e sugava bem gostoso. Ela levou minhas mãos para sua bunda e eu acariciava suas pernas e nádegas enquanto sugava aquele cacete. Como estava gostoso. Nunca pensei que fosse tão delicioso chupar um pauzão de travesti. Nem percebi que Beatriz estava sentada do meu lado assistindo a tudo. Ela me pegou literalmente com a boca na “botija”- Tirei o pau de Sofia da boca e tentei falar alguma coisa, mas Beatriz não deixou. Deu-me um beijo apaixonado e me disse. Vi tudo desde o começo, Augusto. Esquece que o banheiro não tem porta? Vi tudo desde o comecinho e fiquei louca de tesão a hora que você segurou e começou a chupar esse caralho. É uma delicia né meu amor? Agora te amo mais ainda. Estamos só começando, disse Sofia. Vou querer muito mais. Vou comer sua mulher Augusto. Agora vamos tomar um banho juntos, meu gato. Sofia já estava pelada e eu tirei minhas roupas e entrei junto com ela de mãos dadas no chuveiro. Sofia se banhou e eu também. Ela se abaixou e começou a chupar meu caralho debaixo do chuveiro. Chupava meu pau e fazia carinho com os dedos no meu rabo. De repente ela desligou o chuveiro, me virou e começou a dar mordidinhas e chupadas no meu pescoço e orelha . Desceu beijando minhas costas dando linguadas e beijos. Desceu e fez o mesmo com minhas nadegas e pernas. De repente ela abriu minhas nadegas e lambeu meu cuzinho. hummmm, que delicia. Ela me punhetava com as mãos e fazia carinhos com a ponta da língua no meu cu. Que delicia nunca tinha sentido tanto tesão. Tremia o corpo todo nessa hora. -Vai ter muito mais Augusto. Você nunca vai me esquecer. Eu falei que essa vai ser a melhor foda da sua vida. Abraçou-me pela cintura com um dos braços, e com o outro puxou e abraçou Bia. Vamos para o quarto que lá tem espelhos e uma cama bem gostosa. Você vai me ver comendo a buceta de sua esposa enquanto ela chupa seu pau e seu cuzinho. Vou enfiar minha rola toda nessa buceta . Nunca tinha visto Beatriz com tanta vontade de meter como nesse momento. Chegando no quarto Beatriz abraçou Sofia por traz e fez o mesmo que ela fez comigo. Começou a chupar o rabo da boneca. Chupa o pau dela, amor. Pediu Bia. E eu de pronto obedeci. Sofia também estava com muita tesão. Nos fez deitar na cama. – chupa meu cacete bem gostoso, Augusto que eu vou chupar o seu pinto também. Vamos fazer um 69 e sua esposa gostosa vai chupar nossos cuzinhos com a linguinha pontuda . Sofia abocanhou meu pau e me chupava de uma maneira deliciosa. Eu também abocanhei sua pica gostosa. Segurava embaixo e fazia um vai e vem bem molhado no cacetão de Sofia e ela chupava meu pau, meu saco. Beatriz hora chupava meu cuzinho, hora o rabinho da boneca. -Agora eu quero que vocês me chupem, pediu Bia deitando de barriga pra cima. Fui com minha boca para a buceta e clitóris de Beatriz. Sofia me ergueu e colocou um travesseiro na minha barriga para eu ficar com a bundinha pra cima. Sofia deitou em cima de mim e começou a esfregar seu pau no meio das minhas pernas e nas nadegas. Pincelava meu rabinho deliciosamente. hummm, que delicia chupar Bia e sentir aquele pau no meio das nadegas. Sofia passou cuspe na cabeça do cacete e ficou forçando bem de leve, sem querer enfiar. Meu cuzinho piscava de tesão. hummm que delicia, eu estava delirando com tudo. Nunca me passou pela cabeça tudo que estava acontecendo -Agora come minha bucetinha com esse pauzão, pediu Beatriz. Quero-o todo dentro de mim, mas vai devagar que seu pinto é muito grande e grosso Sofia. Abriu as pernas de Biaa e foi enfiando. –Ai, ai, ai ..sua vara é grossa Sofia. Disse beatriz. Vai mais devagar, enfia devagar. Aquela rola enorme entrando na bucetinha molhada e apertada da minha esposa me dava um tesão que não dá pra explicar. Quando a vara entrou toda, Sofia abriu um pouco as pernas e eu aproveitei para enfiar meu pinto na travesti. Passei o gel e fui enfiando naquele rabinho gostoso. Sofia gemeu com gosto, e pediu. Come meu rabo com força Augusto, que eu vou dar uma surra de pica na buceta da sua mulher . Começou um vai e vem bem forte em Beatriz e eu fazia o vai e vem bem forte no seu rabo – Nunca pensei que fosse gostar de comer uma buceta, falou Sofia para Beatriz, mas a sua é deliciosa,putinha. Tirei o pau do rabo de Sofia para não gozar e fui no banheiro dar uma urinada por causa da bebida. Aproveitei para tomar uma duxa super rapida e lavar meu pau e meu rabo de novo. Quando voltei Beatriz estava de quatro levando a pica enorme de Sofia. Gemia e falava palavrões como nunca. Pedi para Sofia deitar na cama de barriga pra cima e Beatriz sentar de frente para a boneca. Como dava tesão ver aquela vara sumir na buceta de Beatriz. A hora que ela sentou naquela piroca pedi para minha esposa arrebitar a bundinha, que eu ia enfiar meu pau no seu cuzinho. Passei o gel e fui enfiando com força. Beatriz estava com tanta tesão que nem reclamou da fincada firme que eu dei no seu rabo. Ela começou a gritar, enfia mais seus filhos da puta, enfiaaaaaaaaaa. Com mais força, vai , come essa puta, força, com mais força ahhhhhhhhhhhhhhh vou gozarrrr. Ela se contorcia como nunca nas nossas varas e gritava e gemia. maisssss, maisssss. Enfia, enfia esse caralhão grande e gostoso, Sofia. aaahhhhhhh to gozandoooooooooo. ahhhhhhhh, hummm. Bea quase desmaiou de gozar. Ficou toda molenga. Sofia saiu de baixo de Bia ,e disse- Quase gozei também. Mas eu quero bem mais, meu amores. Minha rola ainda está bem dura. Venha aqui Augusto. Quero gozar na sua boca seu filho da puta. Agora vou fuder sua boca bem gostoso, seu corno. Tudo estava valendo agora. Aquela pica enorme se aproximou eu segurei e abocanhei com tudo. Sentia toda sua dureza aveludada quando Sofia deixava ela em minha boca. Que delicia. Foi quando Beatriz já recuperada me disse. Tira sua boca daí que agora eu vou engolir essa vara, custe o que custar, respirou fundo, fechou-os olhos e forçou a pica garganta adentro. Engasgou e não conseguiu. Tentou de novo e… não conseguiu. – Agora você seu gostoso, falou Sofia me intimando. Tenta engolir essa rola, vai. –Queeeee? Não vou conseguir nunca respondi – tenta Augusto, pediu Bia segurando minha mão. A vara gostosa de Sofia já estava encostada na minha boca. Respirei fundo, abocanhei e forcei minha cabeça pra baixo. Senti a cabeça da rola na minha garganta. , mas tirei da minha boca engasgado com aquele cacete. Sofia procurou agora os lábios de Beatriz que abriu sua boca , respirou fundo pra engolir aquela espada. Bia beijou a cabeça daquela pica e desceu, mas ficava faltando um pedaço do cacete pra fora . Agora você, meu gato. Era minha vez. Beijei e chupei com carinho aquela vara tão gostosa. Deixei-a bem molhada e fui descendo, descendo devagar quando senti ela no fundo relaxei e senti a cabeçona passar da minha garganta. Beatriz segurava minha mão e torcia. – Vai amor vai, mais um pouco, vai. Engole mais pra sua putinha ver. Não aguentei e tirei minha boca quase que vomitando. Que disputa eu e minha amada pra ver quem conseguia engolir aquela rola.. Agora era a vez de Beatriz. -Agora eu consigo , amor. Bia abriu a boca e desceu com tudo seus olhos arregalados diziam que ela queria conseguir de todo jeito ganhar aquela disputa mas tinha faltado uns dois dedos e meio para ser engolida. –agora você amor, vai você que eu quase consegui. Eu queria vencer essa disputa. Bia segurou minha mão e apertou. Pensei comigo, minha putinha não vai me vencer. Ela quase conseguiu. Fui bem devagar no caralho de Sofia e fui relaxando, lambendo, relaxando a garganta, salivando e descendo, descendo, descendo. No momento que passou da garganta as lagrimas saiam dos meus olhos, mas eu tinha que conseguir. Beatriz segurava e apertava minhas mãos e torcia,- falta pouco, amor , mais um pouquinho, engole, vai, mais um tiquinho só. Ainda não foi dessa vez. Faltou tão pouco. Desisto, chega afirmei . Ai beatriz pediu para Sofia deitar e ficar com sua rola pra cima e eu ficar com a bundinha rebitada. – Amor, tudo por nossa honra agora. Sofia estava com sua vara dura como nunca. Aquela disputa tinha deixado ela louca de tesão. Sofia deitou com o pauzão dela pra cima e eu deitei com minha bundinha arrebitada como minha putinha pediu. -agora amor, vai com tudo gritou Bia. Relaxei a garganta, rebitei mais ainda meu cuzinho pra Bia que gritava. Engole, amor, engole. Desci e senti que ia conseguir. Beatriz gritava.- Falta pouquinho só amor, vai, vai vai , desce , vai mais um tiquinho, vai amor, vai, vai ,vai. As lagrimas corriam dos meus olhos. Aquilo deixava ela louca de tesão. Quando pensei em subir bia forçou minha cabeça pra baixo daquela rola grossa com as duas mãos e com força, com os olhos arregalados e lagrimas senti meus lábios encostar nos pelos de Sofia. Eu tinha conseguido. Sofia ainda ajudou Beatriz a forçar minha cabeça lá embaixo. Seguraram um pouco pra me judiar e depois soltaram. Eu me sentia um herói. Com aquela vara de 22 centímetros enterrada na minha boca. Inteirinha. Beatriz gozou só de ver seu marido ter conseguido engolir duas vezes aquela rola enorme, aquele mastro duro. Sofia tirou da minha garganta mas deixou dentro da boca . Senti avara de Sofia pulsar e inchar mais ainda, ficou duro como pedra na minha boca. A cabeça do seu cacete que já era enorme cresceu mais ainda. Tentei tirar minha boca aquela vara, mas minha esposa e ela não deixaram. Sofia segurou sua vara na minha boca enquanto Beatriz forcava minha cabeça naquela pica. Foi quando Sofia gritou um gemido enorme e começou a esporrear dentro da minha boca e. segurava minha cabeça de encontro aquela rola enorme, Sofia segurou seu pau no fundo e gozava me fazendo correr lagrimas dos olhos de novo. Minha boca estava lotada de esperma de Sofia. Quando acabou de gozar tirou seu membro enorme da minha boca cheia de porra. Nem sei como tinha conseguido engolir aquele pinto tão comprido e grosso . Sofia gargalhou, me beijou longamente sentindo o gosto do que ela tinha deixado na minha boca, Beatriz me deu um beijo de lingua com minha boca lambuzada do gozo de Sofia. – ainda não acabou Augusto. Disse Sofia. -Voces dois me trataram como esse pessoal por ai não trata e ainda estou com muita tesão. Descansamos um pouco e tomamos cerveja e uns goles de whisky. Foi quando ouvimos uma barulho da porta se abrindo .Era Sabrina que quando viu todos nós pelados ficou puta da vida.- Fizeram uma festinha e nem me convidaram, é seus putos. E foi tirando sua blusinha e saia ficando só de calcinha. –Augusto perdeu sua virgindade na boca , mona, disse Sofia. Ele no começo não queria, Sabrina. mas acredita você que ele conseguiu encostar no meu saco três, mona. Que talento tem esse gato gostoso. Ele é uma delicia. Beatriz esta adorando tudo aquilo. Sabrina foi atrás de beatriz, puxou ela pela cintura abraçando ela por trás e roçando seu pinto já duro no meio das suas nadegas, dizendo.- faz tempo que não como um cuzinho de mulher. Quero já. Sabrina não tinha a paciência da travesti negra. – fica de quatro, Beatriz. Bia obedeceu cheia de tesão. Minha surpresa foi quando Sabrina veio e enfiou seu pau na minha boca e pediu- Lubrifica meu pau com sua saliva , meu gostoso. – mas tem o gel eu disse. – cala a boca Augusto e engole o meu pau que perto do caralho da Sofia é fácil. Vai seu puto. Engole e lambuza bem e olha para o rabo da sua esposa depois, mas agora chupa meu pau bem gostoso. Eu nem questionei, estava dominado por tudo, engoli o pau de Sabrina e saboreei aquela delicia deixando ele bem molhado para o cuzinho da minha esposa.. Depois que eu chupei aquele pau gostoso Sabrina colocou Beatriz bem de frente para mim. Beatriz louca de tesão arrebitou seu rabo como nunca e disse. -Te amo tanto. Quando ela ia falar mais alguma coisa ela rangeu os dentes, franziu a testa e cerrou os olhos. Eu sabia que Sabrina tinha enfiado sua rola de uma vez no cuzinho da minha esposa. – tá doendo Sabrina, tira , pelo amor de Deus, tira, gritou Bia. E Sabrina apertava os peitos de beatriz com as mãos e enfiava mais. Beatriz tentava se livrar, mas Sabrina era forte e não deixava. – Relaxa, putinha, relaxa que já já você pede mais. Sabrina enterrou tudo no cuzinho da minha esposa e segurou bem lá no fundo. Bia gritava- tira , tira, está doendo. Sofia começou a esfregar o pau nos labios de Beatriz, Sabrina tinha fincado tudo com muita força no cuzinho da minha amada . Que loucura. Uma fazia o vai e vem no rabinho de Bia e a outra fazia o vai e vem na sua boca, sobrou só tesão. . Eu nem sabia em que mundo eu estava. Beatriz louca de tesão agora gritava,- fode meu cu, filho da puta, enfia essa coisa na minha boca, vai puta, biscate. enfiaaaaaaaaaaaaa. vai, enfia maissssssss hummmmmmmmmmmm vai, come meu cuzinho com força, Sabrina. Vai enfia com força. ahhhhhhhhhhhh. enfiaaaaaaaaaaaaa. Quando Beatriz gozou Sofia enterrou o pau inteiro na boca de Beatris , segurou um pouco e tirou. Meu amor tinha engolido inteiro aquele cacete enorme e nem percebeu. Eu estava com uma tesão que nem sabia o que fazer
Foi quando Sabrina intimou olhando pra mim. Você agora gato. – não, não, eu nunca dei meu cuzinho , não vou aguentar. – foi quando Bia olhou pra mim com olhos de apaixonada e me pediu, – por mim amor, deixa, por favor. É minha maior fantasia ver voce sendo enrabado – mas amor eu nunca… Bia me calou e disse- Você nunca tinha chupado e acabou engolindo uma pica de 22 cm, amor. Me deu um beijo e Sabrina começou a lamber meu rabinho com aquela língua macia. Depois beatriz esfregou sua buceta que eu adoro na minha boca. Comecei a chupar a buceta de Beatriz. Sofia e Sabrina enfiavam a língua no meu cu. Fica de quatro e rebita esse rabo Augusto. Eu estava com medo, mas o tesão falava mais alto.. Sabrina enfiou o dedo no meu rabinho e Sofia ficou na minha frente esfregando seu pau enorme e grosso nos meus lábios. Como era gostosa aquela vara dura e macia . Beatriz me encorajava. faz por mim, te amo tanto. Como não falei mais nada foi sinal verde para as duas pistoludas. Sofia me beijou e disse- Seu rabinho vai ser meu, gato. Eu gritei. Não, não, de jeito nenhum. Eu deixo a Sabrina, mas seu pau é grande demais, Sofia, E nunca dei meu cu. Beatriz me beijou de novo e pediu novamente. – Da seu cuzinho pra Sofia amor, por mim. Os pedidos de Beatriz e minha tesão falaram mais alto. Chamei Sofia e pedi – seja carinhosa, por favor, não me machuque. – Serei meu amor. Lembra que eu prometi que você ia gozar mais que um cavalo? Vai ser agora gato, e foi novamente pra traz de mim e me pediu. -Põe seu cuzinho virgem bem pra cima, arrebita bem essa bunda gostosa, Augusto. Fiz o que Sofia pediu. Ela primeiro lascou a língua no meu cuzinho para ele relaxar. As línguas de Beatriz e Sofia revezavam enquanto Sabrina ficava com sua piroca dura quase que roçando meu rosto. Senti um dedo lubrificando meu rabinho virgem com gel Eu estava com um misto de medo e tesão. Quando as línguas pararam de lamber meu cuzinho eu sabia que a hora tinha chegado. Sofia lambeu minha nuca, minhas costas e minha cintura e começou a cutucar meu cu com aquela vara enorme. Bia passou gel naquela rola dura inteira, Sofia pincelava meu rabo e forçava a cabeçona de vez em quando, parou de pincelar e encostou a rola lubrificada no meu cuzinho e puxou minha bunda pra si. Eu gritei de dor. Paraaaaaaaa. Sofia parou e esperou um pouco. Novamente puxou meu rabo pra cima e colocou a cabeça na portinha do meu cu, Beatriz segurou a minha mão e pediu. –relaxa amor. Quero ver essa pica enorme no seu cuzinho. Ela me beijou enfiando a língua bem no fundo da minha boca. Foi quando Sofia voltou a enfiar a cabeça da rola no meu anus. Doía demais. – tiraaaaa, tiraaaaaaa, eu gritava. Desta vez ela não tirou e forçou mais um pouco.- Agora você vai saber como se come um cuzinho de verdade, seu cachorro Beatriz olhava a cabeça do pau entrando no meu rabo e tremia de tesão. – Aguenta amor. Sofia forçou mais um pouco e minha dor aumentou. . . – Tiraaaa, tenha dó, dói demais. Senti que Sofia enfiou mais um pedacinho.. Bia tremia de tesão de me ver sendo enrabado. Eu via estrelas . Sofia tirou e passou mais gel no pau e no meu cu . Colocou de novo na portinha e foi enterrando . Estava doendo muito- Tá entrando amor, falou beatriz. Ainda bem que Sofia estava tendo todo carinho do mundo. Ela deitou nas minhas costas mordendo minha nuca e Beatriz assistia aquela pica grossa entrando no meu cuzinho virgem. – vou empurrar mais gato. Sente meu pau grande e grosso no seu cuzinho, cachorro. Beatriz apertava minha mão e pedia toda hora. Aguenta amor. Sofia lambia minhas costas para me dar mais tesão ainda e foi enterrando devagar aquela vara enorme no meu cuzinho. De repente aquela vara dentro de mim foi dando um calor inexplicável. A tesão me dominou totalmente, aquele calor tomando conta do meu corpo todo que comecei a gemer de tesão. – falta pouquinho,meu amor. Enfia tudo nele agora Sofia, pediu Beatriz. Sofia obedeceu a Beatriz e fincou o que sobrava do seu enorme cacete no meu cuzinho, nem acreditava que aquela vara enorme e grossa estava quase toda dentro do meu rabo. Sofia segurou na minha cintura e puxou, quando Bia arregalou os olhos e sorriu eu sabia que tinha entrado tudo até encostar as bolas do saco de Sofia na minha bunda. Aquela vara grossa comprida, macia e acetinada estava inteira dentro do meu cu. Sentia cada centímetro dela dentro de mim- Tá gostando da minha pica . Toma no cuzinho, toma safado. Que delicia de rabo apertado. Vai querer sempre levar essa rola, seu cachorro. Toma , toma no cuzinho.. Sabrina aproveitou e veio esfregando sua rola na minha boca. Quando eu ia engolir ela ria e tirava. Quando abocanhei ela segurou minha cabeça e enterrou e segurou no fundo. Sofia começou um vai e vem no meu rabo e Sabrina fodia minha boca. Sentia a cabeça vermelha na minha garganta. Beatriz começou a chupar meu pau, Sofia começou a aumentar o ritmo no meu rabinho e eu chupava o cacete , esfregava minha língua nele, apertava com meus lábios a rola dura de Sabrina . E Sofia fazia o vai e vem e socava seu enorme cacete duro com força no meu cuzinho, fazendo as bolas encostarem na minha bunda. hummm, que delicia. E Beatriz chupando meu pau não aguentei. Eu explodi num gozo como nunca tinha sentido na vida, enchi a boca da Bia de porra. Sofia segurou minhas ancas e puxou minha bunda para si segurando sua vara bem no fundo do meu cú, gemendo de prazer -hummm, que cuzinho apertado cachorro safado humm vou gozar. Seu cu virgem é meu gritava E meu rabo piscava mordendo a vara de Sofia que esporreava dentro de mim . ahhhhhhhhhh, que delicia.. Meu cuzinho ficou cheio da porra do cacetão da Sofia. Enquanto Sabrina gemia e pedia- engole minha vara seu filho da puta, chupa meu pau, hummm chupa minha vara seu corno, chupaaaaaaaaa até eu sentir ela segurar minha nuca e ir fudendo minha boca cada vez mais rápido, com sua cabeça vermelha indo e vindo, indo e vindo , indo e vindo indo e vindo cada vez mais rápido. Sabia que ela ia gozar. Puxou minha cabeça e segurou sua vara e começou a encher minha boca também de esperma.. Eu não tinha forças pra mais nada. O prazer foi tanto que quase desfaleci. Acabamos dormindo e eu acordei com meu cuzinho doendo muito. Nem acreditava que as varas de Sabrina e Sofia tinham me dado tanto prazer. . -vou querer seu rabinho apertado sempre. Não de ele pra mais ninguém, , pediu Sofia. Voltei eu e Beatriz pra casa. Durante uma semana fiquei com meu cuzinho dolorido, mas tinha valido a pena. De vez em quando eu Bea saímos com Sofia para transarmos e é sempre muito bom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *