Seré que meu cuzinho aguenta

Assim que eu gozei na boca do Rogério começamos a conversar e ele falou que o padrasto dele gostava de ficar me olhando rebolando quando eu passava em frente da casa dele. Ele achava que o “velho” me comia se eu desse pra ele. Gostei de saber da novidade e fiquei imaginando aquele homem muito mais velho e cheio de pelo montado em cima de mim e mandando rola. Perguntei se ele tinha dito pro padrasto que me comia. Ele disse que “é claro que não”. Completou:
– Você não ia aguentar ele. Um dia eu vi ele saindo do quarto pelado com o pau meio mole, pendurado. Ele é aleijado, vai até o joelho dele quase aquela coisa preta.
Nem podia imaginar o que me aconteceria alguns dias depois. Nesse dia assim que levantei, tomei banho, coloquei uma calcinha pretinha pequena, como sempre e uma sainha. Ouvi bateram palma no portão. Olhei e era o padrasto do Rogério:
– Seu pai tá aí?
– Não.
– É que ontem chegou uma encomenda para ele e tá lá em casa. Você pode ir lá pegar?
Estranhei, mas resolvi responder que sim.
– Vamos lá agora?
– Pode vim e pega logo.
Fui atrás dele me lembrando do “vai até o joelho” que o Rogério tinha dito. Entrei na casa atrás dele. Ficou mais estranho quando ele fechou a porta com a chave:
– Vem cá no quarto pegar.
– Não tem nada, né? O senhor só queria que eu entrasse aqui, né?
– Tem sim, só que não é pro seu pai, é pra você. Toma! – Disse isso pegando uma bolsa pequena de papelão e me dando. Peguei a bolsa já dentro do quarto e abri. Dentro tinha só uma calcinha branquinha bem pequena.
– Pra mim? Obrigada. Posso ir agora?
– Experimenta pra gente ver se precisa trocar. – Ele falou.
– Eu experimento em casa. – Ele veio para o meu lado, segurou meu braço e falou:
– Eu comprei uma cueca e vou experimentar pra você ver se ficou legal… Experimenta a sua calcinha também?
– Mas tio, eu fico com vergonha…
Ele segurou minha mão e falou como se tivesse falando com uma criancinha:
– Com vergonha de que? Só tô eu e vc aqui! Ninguém vai ver!!!
Eu botei o dedinho na boca e falei:
– Mas a gente nem se conhece! como eu vou ficar pelada perto do senhor?
– Faz assim, eu te ajudo – falou isso e segurou minha blusa e levantou ela. Eu ajudei e rapidinho fiquei com os peitinhos de fora. Ele não perdeu tempo e logo depois segurou minha sainha e desceu ela. Eu fui rebolando enquanto a saia ia descendo.
– Caralho!!! Que bunda!!!!! – Ele gritou isso e foi passando a mão no meu bundão bem devagar e depois deu um tapinha e falou
– Tu é toda menininha, mas a bunda é de mulher grande. Tira a calcinha pra mim, vai, tira rebolando também.
Eu fui gostando do negócio e fui tirando a calcinha preta bem devagar e depois que terminei botei as mãos na cama e me ajoelhei toda aberta. Ele colocou a mão na minha bunda. Abriu e falou:
– Vou te chupar igual chupo boceta.
Falou isso e meteu a língua no meu cu. Parecia a cabeça de um pau de tão dura que tava a língua.
– Aiiiiiiiiiii !!!!!!!!!!!!!!! Tiooooooooooooo!!!!!!!!! Para!!!!!!!!!!!!
– Paro nada! Você tá gostando! Essa bunda é boa pra caralho! Que menininha gostosa!
Ele linguava forte, abria o olhinho e enfiava a língua lá no fundo. Eu ficava piskando doida por mais. Depois ele tirou a língua, passou ela pela minha bunda e deu uma mordida leve nela. Depois disso me levantou e me deu um beijo bem forte enquanto alisava minha bunda e enfiava um dedo dentro do meu cuzinho. Depois me segurou por trás e foi me sarrando ainda com roupa. Botei a mão atrás e fui descendo o short dele. De repente senti o pau saltando e encostando no meu traseiro:
– Ai tio! Que isso que tá aí? Parece muito grande!!!.
Ele me virou e disse:
– Olha.
Eu olhei e vi uma coisa monstruosaaaaaaaaa! Aquele tipo de piru que a gente vê só em filme. Preto, muito grosso e muito grande. Devia dar umas duas mãos minhas e era mais grosso que meu braço!
– Senta aqui vai!
Ele sentou na cama e me puxou pra sentar de frente pra ele. Pegou uma bisnaga de gel, passou no pau todo e lambuzou meu cu. Aí me abriu segurando pelas pernas, meteu a língua na minha boca e foi encostando a cabeçorra na porta do meu cuzinho:
– Ai!!!!!!!!! Num vai dar!!!!!!!!! Eu sou pequena pra esse troço aí!!!!!!!
Ele meteu a língua de novo na minha boca e foi me forçando pra baixo. Eu tremia toda e a cabeça foi escorregando pra dentro:
– Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Uiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!! Vai me matar!!!!!!!!!
Foi entrando, me rasgando toda. Devagar tudo foi pra dentro de mim até que senti os pelos do pau na minha bunda toda arregaçada:
– Ai tio!!! Não mexe não!!! Eu num guento seu piru.
Eu falava e chorava. Ele só me beijava e me segurava toda aberta e arregaçada. Aí ele disse:
– Rebola puta, to sentindo seu cu piscando no meu pau. Vou gozar já, já.
– Ai tio, ai tio!!!! É muito grande, eu não vou guentar!!!
Comecei a rebolar devagarinho e fui tentando ir e voltar no piru. A cada mexida e u piskava muito, tava toda cheia de piru igual nunca tinha estado. Doía mas era bom também. Ele começou a gozar logo em seguida e jogou porra a vontade no meu rabo.
Sentindo a porra, fui me abrindo mais, me mexendo até começar a jorrar porra junto com o tio picudo. DELÍCIA.
Essa foi a primeira foda.. tem mais…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *