Saí pra comer e acabei dando pra travesti

Uma bela noite, resolvi que ia sair e pegar uma prostituta.
Fui em Canoas, uma cidade bem perto da minha e resolvi passar em uma rua bastante conhecida nessa cidade por ter várias mulheres fazendo programas.

Na primeira vez que ia passando pela rua, logo no início dela, avistei uma loira. Linda, baixinha, muito gostosa. Estava com um vestidinho preto curto, com um decote bem generoso. Mas como estava recém no início da rua, resolvi ir um pouco mais pra frente. Até vi uma outra morena que me chamou a atenção, mas a loira não saiu da minha cabeça. Resolvi então fazer a volta pela rua de baixo. Essa rua também é bastante conhecida, mas por ter muitos travestis fazendo programas.

Reparei em algumas trans lá, mas ainda estava com a loira da outra rua na cabeça. Subi novamente para aquela rua, e quando avistei ela, havia um carro parado e ela conversava com o motorista. Enviarei o carro atrás e esperei pra ver se ela ia fechar com esse cara. Pra minha tristeza, ela entrou no carro e foram rumo ao drive in que tem na mesma rua.
Lembrei da morena e fui atrás dela. Não a encontrei, então fui fazer a volta novamente pela rua das trans. Foi quando avistei ela. Loira, alta, com um rostinho lindo de menina. Tinha os cabelos lisos, e estava com um vestido vermelho. O vestido estava mais pra cima, dando assim para ver a calcinha dela. E marcando na calcinha dava pra ver que ela era bem fornecida de pau. Aquele cacete estava a meia bomba, jogado pra esquerda, e dava pra ver certinho o desenho e o tamanho dele. Passei olhando pra ela. Eu fiquei de pau duro na hora. Pensei em parar, mas tinha medo, pois tinha um bom movimento de carros naquela hora. Segui em frente e fui novamente pra rua das mulheres. Não encontrei nenhuma que me agradasse, então resolvi que ia deixar o carro perto de onde vi a primeira loira e iria esperar. Depois de uns 20 minutos ela voltou. Parei, perguntei preços e condições e fomos pro drive. Mal entramos e a gente já foi se agarrando. Ainda dentro do carro, ela tirou o vestido e abriu minha calça. Tirou meu pau pra fora e começou a me chupar. Depois, fomos pro lado de fora do carro ( nesse drive o carro fica dentro de um tipo de garagem, com sofá e um banheiro ainda). Sentei no sofá, ela me chupou mais um pouco, colocou uma camisinha e veio por cima de mim. Ficou um tempo cavalgando e depois pediu pra que eu pegasse ela de 4 no sofá e comesse ela. Ela ficou de 4 e eu fui socando na buceta dela. Depois eu pedi o cuzinho e ela liberou.
O grande problema é que eu simplesmente não conseguia gozar. É fiquei meio pilhado e acabei meio que brochando. Ela ainda tentou, mas ficou a meia bomba e acabei desistindo. Quando eu fui pagar ela, ela ainda me fez um valor abaixo, pois não tínhamos terminado o serviço.
Saí meio puto de lá, larguei ela no local e fui em uma lancheria ali perto. Tava comendo um lanche e pensando… Daqui a pouco me veio na cabeça a travesti loira. Na hora fiquei de pau duro. Resolvi ir lá.
Cheguei lá e tive que dar umas duas voltas até encontrá-la. Parei, acertamos o preço e fomos pro motel que elas usam para os programas.
Ela era linda demais… O corpo perfeito, a voz vem feminina…
Entramos no quarto. É começamos a nos beijar e agarrar. Eu estava completamente caído por ela. Ela começou a me chupar… Ela lambia meu pau, chupava, lambia as bolas… Eu estava com tanto tesão que quase gozei no boquete já. Pedi pra ela parar, ela pegou uma camisinha e colocou no meu pau e ficou de 4 na cama. Eu me aprontei e comecei a colocar nela, me cuidando todo pra não gozar. Depois que entrou tudo, ela começou a dar umas piscadas com o cu que fez um gozar em uns 4 minutos. Fiquei puto da cara comigo mesmo. Aí ela me disse que a gente ainda tinha uns 40 minutos de programa.
Me deitei na cama começamos a nos beijar. Ela tirou o vestido e a calcinha. Foi quando ela pegou minha mão e pôs no pau dela. Eu cheguei a parar de beijar ela pra olhar para aquele cacete. Cara, era MUITO GRANDE. Eu fiquei olhando e batendo uma punheta naquele pau… E foi ficando maior e duro feito uma pedra. Ela me perguntou se eu queria chupar e eu não neguei. Fiquei de 4 em cima da cama e comecei a chupar. Ela foi me dando as coordenadas ” isso gatinho, chupa vai…” “Passa a língua no meu cuzinho” “chupa minhas bolas, meu viadinho “.
Eu chupei de tudo que foi jeito. Eu passava a língua na cabeça, depois passava no pau todo, descia pras bolas, lambia o cu dela, depois tentava enfiar tudo na minha boca, até chegar na garganta. Depois fazia de novo.
Até que ela me puxou pelos cabelos, me puxou até me dar um beijo na boca e falou no meu ouvido com aquela voz manhosa ” deixa eu comer teu cuzinho, deixa meu putinho”. Eu estava tão louco por ela que deixei. Ela me mandou ficar de 4 e eu obedeci. Ela ainda chupou meu cuzinho apertando meu pau, colocou um dedo e começou a pincelar meu rabinho.
Quando ela começou a forçar, senti uma dor enorme, como se estivesse me rasgando… Soltei um gemido de dor e ela perguntou se queria que ela parasse. Respondi que não, e ela continuou com o pau ali. Foi colocando aos poucos, eu cheguei a morder o travesseiro pra suportar a dor. Depois de uns 20 minutos, ela conseguiu meter tudo. Me puxou pelo cabelo e beijou minha boca. E disse ” pronto meu putinho… Tá tudo dentro de ti.”
E começou um vai e vem gostoso, bem devagar. Em pouco tempo a dor foi embora e veio o tesão. Ela já bombava mais forte e rápido e eu comecei a gemer. Em minutos eu tava rebolando naquele pau grosso e gostoso, e pedindo mais. Ela mandou eu me deitar de barriga pra cima. Pegou os travesseiros e colocou embaixo da minha bunda, que nessa hora já estava toda fudida. Levantou minhas pernas e socou de novo. Doeu, mas o tesão era maior. Ela começou a me foder e beijar minha boca. A cada estocada funda eu dava um gemido de prazer. Depois de um tempo me comendo assim, ela quis me comer de ladinho. Eu virei, ela deitou e eu ofereci meu cuzinho de novo. Ela me comeu de lado, beijando minha boca e me chamando de putinho dela. Ela anunciou que ia gozar e eu pedi na cara. Ela tirou o pau do meu cu ( que estava irreconhecível) e meteu na minha boca. Fodeu minha boca até que tirou e começou a despejar porra por toda minha cara. O pau dela não baixou, e ela ainda esfregou ele na minha cara e mandou deixar bem limpinho. Eu obedeci ela e limpei tudo. Depois nos beijamos, tomamos um banho ( onde ela ainda me enrabou, mas sem gozar), nos vestimos e fomos embora.
Eu virei cliente dela. Uma vez por mês eu ia lá ver minha loira gostosa. Uma vez peguei ela é uma outra travesti amiga dela, uma morena gata demais.
Mas isso eu conto no próximo conto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *