Primeira vez com uma trans

Me chamo Theo, nome fictício, sempre fui mente aberta pra diversas coisas, desde minha adolescência descobri certos fetiches, e um deles era me vestir de mulher, mas apenas me vesti. Com o tempo foi ficando forte meu desejo de experimentar com um homem pra saber se eu não era bissexual, já que gosto de mulheres também, mas nunca tive coragem e esse desejo foi passando mas ficou mais forte em relação a transsexuais. Eu vivia vendo vídeos pornô de trans, me deliciava com aquelas cenas descascando uma bronha.


Certo dia estava em um site de bate papo e uma garota me chamou pra conversar, e disse que era trans e se teria algum problema, eu disse que não, que curtia trans. E começamos a bater papo, conversando sobre diversas coisas, contei da minha curiosidade, a mesma me fez o convite de experimentar, mas fiquei meio receoso, mesmo tendo vontade.
Dias mais tarde ela me convidou para vermos um filme em sua casa, sem compromisso nenhum. Mesmo relutante aceitei e resolvi ousar, fui até uma loja e resolvi comprar uma sainha e uma blusinha pra combinar com uma lingerie que eu tinha e encontrei opções perfeitas. A noite fiz minha bolsa, guardei as roupinhas, fui só de calcinha e roupa normal. Cheguei em sua casa e ela me recebeu com toda educação, eu estava nervoso, ela percebeu e disse pra relaxar, pois, assistiriamos ao filme e aconteceria algo mais apenas se eu quisesse.

Começamos a ver o filme e trocando olhares, e no meio do filme, pedi pra ir ao banheiro, era aquela hora ou nunca. Fui e vesti o sutiã e a blusinha, deixando com um volume, e vesti a sainha rosinha de renda que não cobria minha bunda toda e fui pra sala. Ela estava mexendo no celular e quando me viu daquele jeito ficou surpresa e me chamou pra mais perto, e fui dei uma voltinha e ela apertou minha bunda bem gostoso, apenas sentei no seu colo e fiquei rebolando e fui sentindo seu pau ficando duro no meio da minha bunda. E o meu também logo ficou duro, ela agarrou ele e tirou pra fora, estava todo babado, ela soriiu e chamou pra ir pro seu quarto e lá fomos.

Me deitei e ela já veio caindo de boca no meu pau, era uma delícia o boquete dela, mas eu também queria experimentar, e pedi, ela se virou e ficamos na posição de 69, um chupando o outro, não aguentei e gozei, ela bebeu meu leitinho tudo. Ela me perguntou se eu queria mesmo dar pra ela, balancei com a cabeça dando sinal de positivo, foi quando ela me colocou de quatro, deixando minha bunda exposta e puxou a calcinha de lado e meteu sua língua quente no meu cuzinho, eu comecei a gemer igual uma putinha.

Senti a cabeça do pau dela pincelando a entrada do meu cuzinho e aquilo me deixava com muito tesão e fui sentindo ela forçando pra dentro, estava nervoso e meu cuzinho trancou, ela pediu pra eu ficar calmo e tentou de novo, meu cuzinho aos poucos foi liberando e pouco a pouco meu cuzinho era rasgado por aquele pau grande e grosso, eu gemendo de dor, senti entrar a cabecinha e pedi pra parar um pouco pra acostumar, e ela foi metendo e parando, até entrar aquele cacete todo dentro de mim, doía muito.

Aos poucos ela começou a fazer movimentos de vai e vem me arrombando ainda mais, e a dor foi passando e se transformou em prazer, comecei a gemer gostoso e ela perguntou:
– tá gostando minha mocinha?
– sim, tá uma delícia
– você agora já é uma mulher, perdeu seu cabacinha
– sim, que delícia de pau, me fode

E ela bombou gostoso no meu cuzinho. Depois de um tempo mudamos de posição, ela se deitou e fui por cima, engolindo aquele pauzão com meu cuzinho guloso, meu pau babava muito naquela altura e eu gemendo gostoso, até ela realizar mais um desejo meu, e encheu meu cuzinho com seu leite quente, era uma delícia sentir cada jato dentro do meu cuzinho, cansados caímos cada um pro lado e fui pro banho, ela insistiu pra dormir lá aquela noite, e liguei pra meus pais avisando que ia dormir na casa de um amigo, e dormimos os, acordei no outro dia com o pau dela roçando na minha bunda, e dei gostoso pra ela de ladinho até ter meu cuzinho cheio de novo, ela me deu um absorvente e coloquei pra não vazar e fui pra casa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *