Dando uma rapidinha deliciosa com o travesti na boate

Sempre fui “hetero”, nunca tive esses desejos doidos, por homem e nem por traveco. Um dia resolvi fazer uma exceção, aconteceu quando fui curtir o aniversário de um amigo meu numa boate badalada aqui na cidade, que sempre está lotada de gente bonita e nesse dia não foi diferente.
Estávamos em cinco amigos e enquanto eles bebiam e falavam besteiras fui pra pista dançar um pouco e ver se encontrava alguma gatinha.

Não demorei muito para que eu percebesse um olhar insistente pra mim. Uma mulher alta, com seios fartos muito bonitos, cabelos grandes batendo abaixo da cintura e usando um vestido bem justo que mostrava suas curvas. Nesse momento comentei com meu colega que estava ao lado e perguntei se ele a conhecia. Com uma gargalhada bastante irônica ele me diz que não conhecia aquela linda mulher. Então continuei bebendo sentado no balcão olhando aquela gata.
De repente, para minha surpresa, aquela mulher se aproximou, perguntou se poderia sentar ao meu lado. Ela se apresentou como Andreza e disse que estava me observando já há muito tempo, pois lhe tinha chamado atenção e me achou muito atraente. A partir dai começamos a conversar e a beber. Enquanto isso percebia que ela além de ser linda era muito gentil e simpática.
Durante a conversa me falava que tinha voltado da Itália há pouco tempo e estava com amigas, mas cada uma já tinha se arranjado e ficou ali com um copo na mão sozinha. Depois de bebermos muito e criarmos uma intimidade, do nada ela me puxa para o banheiro masculino, olhei se alguém estava vendo, como “a barra estava limpa” entrei com ela, a gente se trancou na cabine de deficiente físico que tem bastante espaço e começamos a nos beijar bem gostoso, ela era um tesão e começou a me beijar gostoso no pescoço, pegou meu pau por cima da calça e deixou logo duro, explodindo na cueca.
Ela abriu o zíper colocou minha piroca pra fora e chupou gostoso, me deixando doidinho enquanto arranhava devagarzinho minhas pernas e apertava meu saco com força, depois lambia minhas bolas. Tinha me deixado louco com aquele boquete que até então tinha sido o melhor da minha vida.
Sentado no sanitário Andreza ficou de costas pra mim e foi tirando o vestido, não tinha como não perceber aquele volume entre suas pernas que estava só crescendo, não acreditava que aquele espetáculo de mulher era um traveco roludo. Ainda sentado ali confesso que fiquei nervoso, mas não reagia, estava paralisado pelo que tinha visto.
Andreza ainda de costas começou a fazer uma dança sensual, não teve como não ficar de taca dura ao vê-la sensualizando com aquele bundão delicioso pedindo pica. No momento que comecei acariciar sua bunda pensei como seria comê-la e encontrar logo ali pertinho um pauzão, já estava desistindo aquilo tudo.
Quando ela se reclinou e afastou o fio dental minúsculo que estava enterrado no rego falou:

–Mete no meu cuzinho vai! Quero sentir essa piroca gostosa no meu rabo!

Eu não resistir a aquele pedido, tirei uma camisinha da carteira, encapei meu menino e coloquei a cabecinha no cuzinho dela, que delícia de cu. Era bem apertadinho, parecia que nem era usado. Continuei sentado então ela veio para o meu colo de costas rebolando fazendo minha pica entrar com tudo enquanto isso eu chupava seu pescoço, apertava seu rabo gostoso e ela gemia de um jeito bem safado.

Depois ela sentou de frente, rebolou no meu pau e nessa hora pude sentir seu pau duro encostando na minha barriga, mas não foi isso que me broxasse, ela era uma delícia, ouvi ela gemendo gostoso e falando que minha rola era uma delícia, que eu metia muito bem e que ia ficar viciada na minha pica e ia querer sempre.
Levantei com ela no colo e a escorei na parede, assim ficamos de pé então voltei a socar com mais força, tive até que tapar a boca dela para a safada não gritar, logo avisei que ia gozar e só ouvia ela pedindo pra eu gozar no cuzinho dela, me chamando de gostoso e outras palavras que aumentavam meu tesão.
Tirei o pau pra fora depois de gozar e a camisinha tava cheia de porra, parece que descarreguei tudo na foda com essa travesti gata, foi um dos melhores sexos da minha vida, depois a gente saiu da cabine na maior cara de pau, algumas pessoas até viram a gente, e eu resolvi ir embora pra casa, meio constrangido, sem avisar aos amigos, mas peguei o telefone da Andreza e sempre que ela está na cidade a gente saí, e o melhor é que eu não pago nada .
Esse foi o quinto conto. Diga se gostou e o que não gostou. Se VC já imaginou algo parecido me fale ou me escreva que tipo de conto o deixa de pau duro ou de buceta molhada. Entre em contato:
whatsapp: 61 9 9571-2872

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *